> > > Parque da Cidade

Parque da Cidade

Parque da Cidade
Telhado verde, teto refletivo, fachadas de vidro de alta performance, células fotoelétricas, sensores de ocupação e captação de energia solar para aquecimaneto da água são algumas das propostas para aumentar a eficiência energética do empreendimento Foto/Imagem:Ana Mello

Complexo Multiuso

Inovador, o projeto do complexo multiuso Parque da Cidade, localizado na Zona Sul da capital paulista, prevê a integração de edifícios corporativos, residenciais e comerciais. Com área de, aproximadamente, 80 mil m², é composto por 10 edificações – cinco torres corporativas, uma de escritórios, duas residenciais, um shopping e um hotel.

A proposta que prevê a revitalização de uma área degradada tem como eixo principal um parque linear de 62 mil m² aberto ao público eEsse parque linear nos ajudou a dividir o espaço, criando um volume contínuo e preservando a unidade do empreendimentoFelipe Aflalo dotado de infraestrutura de serviços e lazer como restaurantes, teatro, playgrounds e ciclovias. “Esse parque linear nos ajudou a dividir o espaço, criando um volume contínuo e preservando a unidade do empreendimento”, comenta Felipe Aflalo, do escritório de arquitetura Aflalo e Gasperini.

Torres corporativas: fachadas face Norte e Sul

Essas torres foram dispostas em paralelo ao parque linear, no sentido longitudinal, para aumentar a iluminação natural e reduzir a incidência de calor – reduzindo custos de refrigeração e uso de iluminação artificial.

Edifícios residenciais protegidos por barreiras acústicas

As duas torres residenciais foram dispostas de forma oposta às corporativas. Assim recebem mais sol e têm as edificações corporativas e a vegetação como barreiras acústicas contra os ruídos provenientes da Marginal Pinheiros.

Pré-moldados

Para otimizar o processo construtivo serão usadas lajes alveolares e sistemas pré-moldados. Eles serão entregues prontos no canteiro de obras para reduzir o efetivo de mão de obra. As fachadas serão feitas com painéis pré-moldados, sistema unitizado de caixilhos e vidros.

Parque da Cidade - Complexo Multiuso
O parque linear ajudou a dividir o espaço, criando um volume contínuo e preservando a unidade do empreendimento Foto: Ana Mello

Paisagismo

O complexo deve ter 22 mil m² de áreas verdes permeáveis – serão plantadas mais de mil árvores de 30 espécies nativas seguindo uma paleta de gradação de cores. Além de tornar a proposta mais bela e sustentável, o projeto considera a orientação das correntes de ar e o sombreamento projetado pelas torres e pelas árvores para que o paisagismo minimize as ilhas de calor, forme barreiras acústicas e favoreça a retenção de águas pluviais.

Está prevista a criação de áreas permeáveis, lago e calçadas com biorretenção para reter a água das chuvas e aumentar a captação para reuso.

Sustentabilidade

Telhado verde, teto refletivo, fachadas de vidro de alta performance, células fotoelétricas, sensores de ocupação e captação de energia solar para aquecimento da água são algumas das propostas para aumentar a eficiência energética do empreendimento. As soluções sustentáveis são tantas que tornaram o Parque da Cidade elegível à certificação LEED ND (Neighborhood Development), do US Green Building Council, inédita no Brasil e concedida apenas a projetos que impactam de forma positiva no seu entorno. “Todos os detalhes desse complexo foram planejados para oferecer qualidade de vida e impactar positivamente a região e a cidade”, declara Paulo Melo, diretor regional da Odebrecht Realizações Imobiliárias.

As soluções para gestão da água – que incluem sistema de esgoto a vácuo, mictórios secos e sistemaCom essas e outras medidas a expectativa é que haja redução de 50% na geração dos resíduosFelipe Aflalo de irrigação inteligente, com estação meteorológica e medidores da umidade do solo – reduzirão em até 67% o consumo da água tratada. O benefício é também financeiro – a expectativa é que as medidas que reduzem o consumo de água gerem economia de 1,8 milhão por ano.

Gestão de resíduos

O Parque da Cidade contará com coleta de resíduos a vácuo e tratamento de resíduos orgânicos. “Também será promovida sua reciclagem e reuso, além da geração de energia a partir do lixo orgânico e compostagem, minimizando a emissão de gás metano na atmosfera. Com essas e outras medidas a expectativa é que haja redução de 50% na geração dos resíduos”, Felipe Aflalo, do escritório de arquitetura Aflalo e Gasperini.

Fornecedores desta obra

Forro de Gesso

Gypsum Drywall

Escritório

aflalo/gasperini arquitetos26 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2012
Conclusão da obra: 2016
Área do terreno: 80000
Área construída: 600.000

Tipo de obra:
Uso Misto
Tipologia:
Uso Misto

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens

Mantenha-se atualizado! Receba
gratuitamente os Boletins e Informativos
da Galeria da Arquitetura

E-mail cadastrado com sucesso!

Você ficará informado sobre tudo que acontece
no mundo da Arquitetura. Aproveite!

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo