> > > Vivo Rio

Vivo Rio

Vivo Rio
A revitalização da Vivo Rio é um resultado interessante da combinação entre o moderno e o clássico Foto/Imagem:Fabio Okamoto

Originalidade preservada

Com projeto arquitetônico que combina o contemporâneo e o clássico, a casa de shows VIVO Rio destaca-se na noite carioca. O espaço foi projetado na década de 1940 por Affonso Eduardo Reidy, construído no final 1990 e em 2016 foi revitalizado pelo arquiteto Albert Sugai.

Uma vez que o exterior da casa é tombado pelo patrimônio histórico, não podendo sofrer qualquer interferência, Sugai reformou apenas o interior. A intenção era modernizar, mas mantendo a mesma segurança e bem-estar de sempre.

Programa

A revitalização dos espaços internos baseou-se em três programas simultâneos: reforma de halls, criação de espaços institucionais para a VIVO e comunicação visual.

Para o primeiro, foi escolhido um design diferenciado, prático e funcional, respeitando o conceito original da obra de Reidy, e minimizando as intervenções posteriores de infraestrutura.

Na criação de espaços institucionais para a VIVO também se procurou explorar o design. Os ambientes foram integrados com a intervenção do retrofit e com valores da marca, que foram representados com brasilidade, sofisticação e qualidade.

Para finalizar, a comunicação visual seguiu a linha discreta de forma que os dois primeiros itens ficassem em destaque.

Atmosfera acolhedora

Vivo Rio - Originalidade preservada
Um dos aspectos importantes do projeto foi o impacto sensorial, com alterações de cores frias para quentesFoto: Fabio Okamoto

Ao entrar na casa de shows VIVO Rio – que tem capacidade para 5 mil pessoas –, o público é recebido por uma atmosfera acolhedora e menos poluída visualmente. Nessa entrada, Sugai retomou a clareza da proposta inicial de Reidy e sua brasilidade. “Ao longo dos anos este projeto havia sido descaracterizado devido a adaptações de segurança e climatização”, explica.

Outro aspecto importante das mudanças foi o impacto sensorial, com alterações de cores frias para quentes. Para o layout, optou-se por uma forma mais clara e compreensível de funcionalidade e compreensão do espaço, além de torná-lo mais aconchegante e sofisticado.

Materiais

Madeira e palhinha foram utilizadas para resgatar a tradição da casa de shows VIVO Rio. A modernidade no local ficou por conta do alumínio cor champanhe nas paredes. Um detalhe importante é que a marca VIVO foi utilizada pela primeira vez em branco sobre um fundo de aço enferrujado, que marcou de forma sutil a entrada. A cor oficial, púrpura, ficou apenas nos detalhes de iluminação, destacando a modernidade da empresa, além de certa sofisticação.

“Fizemos um grande forro onde se esconde toda a estrutura do foyer central, AC eletrocalhas, sistemas etc., em madeira e palhinha que inunda o espaço com uma luz muito agradável”, conclui o arquiteto.

Escritório

Albert Sugai Arquitetura e Design3 projeto(s)

Local: RJ,Brasil
Início do projeto: 2015
Conclusão da obra: 2015

Tipo de obra:
Centros Culturais

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens

Mantenha-se atualizado! Receba
gratuitamente os Boletins e Informativos
da Galeria da Arquitetura

E-mail cadastrado com sucesso!

Você ficará informado sobre tudo que acontece
no mundo da Arquitetura. Aproveite!

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo