> > > Escola de Ensino Médio do Colégio Santa Maria

Escola de Ensino Médio do Colégio Santa Maria

Escola de Ensino Médio do Colégio Santa Maria
Composto por três blocos conectados por marquises, o Colégio Santa Maria exibe design diferenciado, que valoriza a arte e a natureza Foto/Imagem:Eli K. Hayasaka

Trio integrado

Três blocos principais e amplos espaços de circulação, todos entremeados pela natureza e pela arte, compõem as novas instalações do Ensino Médio do Colégio Santa Maria, localizado na Zona Sul da cidade de São Paulo (SP). A empreitada é resultado do esforço conjunto dos escritórios Hoearquitetura e M.A Estúdio, em parceria com a arquiteta Beta Carvalho, que desenvolveram o projeto arquitetônico.

Distribuição dos blocos

O terreno do colégio tem como característica marcante o formato trapezoidal, com três lados voltados para o sistema viário da cidade. Árvores preservadas pontilham todo o espaço.

Para implantar o novo projeto no lote, os arquitetos se guiaram pela organização dos fluxos de circulação e pela reserva de área verde. Foi importante conceber um programa que abrigasse as necessidades em blocos independentes, que agora são interligados por passarelas. Os três blocos principais, cada qual com uma marquise que o interliga aos outros, são: acadêmico, administrativo e de esportes e eventos.

O bloco acadêmico conta com um sistema de circulação vertical e horizontal de rampas e amplos corredores abertos, protegidos por uma estrutura metálica com vedação transparente. Com isso, as circulações adquiriram característica de local de encontro e convivência.

Nas salas de aula, foi dada ênfase à versatilidade. “Procuramos trazer flexibilidade para as salas de aula, sendo algumas providas de painéis deslizantes. Quando necessário, é possível ampliar as salas”, conta a arquiteta Cecilia Horner Hoe, do escritório Hoearquitetura. A cobertura metálica curva possibilita às salas do segundo pavimento uma aparência espacial convidativa.

O bloco administrativo, por sua vez, é uma estrutura tipo pórtico com dois andares. Ele abriga diretoria, recepção, estoque, salas administrativas, loja e CPD. O volume tem formato de barra contínua, porém é interrompido e dividido em duas partes no ponto em que se encontram árvores preservadas. A conexão entre essas duas partes é feita por meio de passarelas, que acabaram se tornando um mirante para essas árvores.

Escola de Ensino Médio do Colégio Santa Maria - Trio integrado
O projeto conta com três marquises. A segunda exibe formato ondulado e permite o embarque e desembarque, além de acompanhar a via de circulação dos veículos e pedestres da portaria até o bloco de esportes Foto: Eli K. Hayasaka

“Nós escolhemos o ponto no qual os ambientes se conectam para construir a capela, que se tornou um ponto de encontro entre os blocos administrativo e acadêmico e tem um significado simbólico de contemplação”, explica a arquiteta Mary Ane de Azevedo, do escritório M.A Estúdio, lembrando que o caminho entre um lugar e outro pode ser feito por entre os belos espelhos d’água.

Por fim, o bloco de esportes e também de eventos é composto por quadra, cantina e vestiários. As portas deslizantes se abrem para a quadra, o que permite uma ampla integração.

“Todo o conjunto é interligado por três marquises que permitem o fluxo contínuo entre os blocos, e também protegendo do sol e da chuva”, comenta a arquiteta Beta Carvalho.

A primeira marquise tem o teto ajardinado. É ele quem recebe os visitantes na portaria e os direciona tanto para a recepção quanto para a loja. A segunda marquise tem formato ondulado e permite o embarque e desembarque, além de acompanhar a via de circulação dos veículos e pedestres da portaria até o bloco de esportes. A terceira marquise possui teto, também ajardinado e um deque que atua como um mirante e observatório.

Materiais, arte e integração

Visando à baixa manutenção, os responsáveis pelo projeto optaram por tipos específicos de materiais, buscando também trazer identidade às novas instalações. Materiais como vidro e concreto predominam, assim como estruturas metálicas.

Outro objetivo fundamental foi obter a máxima integração dos espaços internos e externos, através de amplas aberturas. As circulações são protegidas, mas sem a necessidade de vedações, e há uma variedade de espaços de encontro.

O colégio também está envolto em arte, presente na composição dos painéis coloridos dispostos em diversas áreas e ainda nos desenhos dos muros verdes e nos canteiros multicores dos tetos ajardinados.

Para a composição das cores e dos jardins, os profissionais inspiraram-se na obra do pintor holandês modernista Piet Mondrian e do arquiteto paisagista brasileiro Burle Marx. Trata-se de uma arquitetura no qual o limite entre natureza, arte e estruturas é tênue.

Mantenha-se atualizado! Receba
gratuitamente os Boletins e Informativos
da Galeria da Arquitetura

E-mail cadastrado com sucesso!

Você ficará informado sobre tudo que acontece
no mundo da Arquitetura. Aproveite!

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo