> > > Residência AB

Residência AB

Residência AB
Com dois extensos e conectados platôs, a Residência AB – localizada em uma ilha particular em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro – interfere minimamente na natureza que a cerca Foto/Imagem:Rafael Kamogawa

Casa na ilha

Localizada na paradisíaca Angra dos Reis (RJ), em um ilhéu de cerca de 53 mil metros quadrados, a Residência AB estabelece um diálogo perfeito com o entorno, interferindo minimamente na natureza que a cerca.

Responsável pelo projeto arquitetônico, o escritório Jacobsen Arquitetura procurou seguir com rigor todas as normas ambientais. De acordo com o arquiteto Paulo Jacobsen, aspectos como proximidade da construção com o mar, altura da casa, área de terreno ocupada e modificações na topografia precisaram ser considerados, levando a estudos conceituais importantes.

A residência parece sair do morro como uma flecha Paulo Jacobsen

Mesmo obedecendo às normas ambientais, o escritório conseguiu elaborar um projeto capaz de emoldurar a exuberante paisagem e oferecer aos moradores o máximo de contato com a ilha, de forma segura.

Encaixe topográfico

O lote em que a Residência AB foi inserida era ocupado por uma outra casa, que precisou ser demolida. “Era uma casa bem antiga. Demolimos e respeitamos o local onde ela estava porque era muito bom”, conta Paulo.

De certa forma, isso facilitou a implantação do novo projeto, uma vez que o terreno já ficou desmatado, eliminando formação de lama. Ainda assim, as dificuldades de se construir em uma ilha - que só pode ser acessada por barco - não foram poucas, trazendo desafios sobretudo às equipes de mão de obra e ao fornecimento de materiais.

Programa

A planta da Residência AB conecta os dois platôs existentes, gerando uma construção de dois pavimentos. A área íntima ficou no nível superior, mais próxima à montanha, e as áreas sociais e de lazer no inferior, mais próximas do mar.

Segundo o arquiteto Bernardo Jacobsen, o térreo funciona como um piloti, uma área vazia e transparente; e a parte propriamente fechada da casa, como uma asa visível, que é o setor acima dos quartos. “A residência é basicamente formada pelo pavimento superior, com a área íntima, e pela parte de baixo, com home theater, salas de estar e de jantar, varanda, piscina e toda a parte de lazer e social”, comenta.

O segundo andar foi montado exatamente na altura do topo da montanha. “A residência parece sair do morro como uma flecha", menciona Paulo. Já a parte baixa parece decorrer do nível superior, como uma sombra.

Integração

Residência AB - Casa na ilha
Grandes beirais são responsáveis pela integração dos ambientes externos com os internosFoto: Leonardo Finotti

Desde o início a intenção era trazer o jardim externo para dentro da Residência AB. As salas de estar e de jantar receberam pé-direito duplo, o que facilitou a entrada do verde. Pequenas árvores separam esses ambientes, mas sem comprometer a idealizada integração.

Grandes beirais também foram projetados para auxiliar na união das áreas da casa. No andar de baixo, por exemplo, o beiral funciona como varanda para o piso superior. “Os fechamentos ficam sempre recuados dos limites da construção, pois é uma casa para ficar aberta. A impressão que se tem é que não há fechamentos”, complementa Bernardo.

Conforto térmico

Um muro posicionado atrás do terreno barra a entrada de ventilação cruzada no térreo. Para amenizar a temperatura e trazer conforto aos moradores, todo o layout foi projetado em pé-direito duplo. “Porque ganhamos altura, e o muro só existe na parte de baixo”, diz Paulo. Assim, o andar superior é banhado por ventos refrescantes.

“Totalmente aberta, a sala não tem ar-condicionado, nem previsão para isso. Esse equipamento só é utilizado nos ambientes fechados, como nos quartos. É uma casa muito fresca, colada na mata, sendo que o vento entra por trás e pela frente”, afirma Bernardo.

O primeiro piso é todo em pedra de granito cerrado, que sai do interior e vira parte da varanda chegando na piscina Bernardo Jacobsen

Materiais e revestimentos

As técnicas construtivas e os materiais foram escolhidos levando em conta as particularidades de uma ilha. Foram utilizados estrutura metálica e painéis de madeira e de vidro pré-fabricados, ambos de fácil transporte e montagem rápida, reduzindo mão de obra e descarte. A intenção dos arquitetos foi, ainda, proporcionar uma manutenção maleável e de baixo custo em longo prazo.

Piso e forros foram, em sua maioria, revestidos de madeira. Para o fechamento dos dormitórios foram utilizados painéis de correr com folhas de vidro dos dois lados. “O primeiro piso é todo em pedra de granito cerrado, que sai do interior e vira parte da varanda chegando na piscina”, conta Bernardo.

Com estrutura de aço, a casa ficou mais leve. Segundo Paulo, isso foi fundamental para suportar o desenho "pavilhonar" da construção, extremamente longo e fino.

Escritório

Jacobsen Arquitetura11 projeto(s)

Local: RJ, Brasil
Início do projeto: 2011
Conclusão da obra: 2016
Área do terreno: 53.548
Área construída: 935

Tipo de obra:
Residência
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens

Mantenha-se atualizado! Receba
gratuitamente os Boletins e Informativos
da Galeria da Arquitetura

E-mail cadastrado com sucesso!

Você ficará informado sobre tudo que acontece
no mundo da Arquitetura. Aproveite!

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo