> > > Fontes e espelhos d'água

REFERÊNCIAS /

Fontes e espelhos d'água

O espelho d’água é um recurso arquitetônico decorativo bastante usado em jardins residenciais ou comerciais e em entradas de edifícios para refletir o ambiente a sua volta. Além do efeito estético, o movimento da água proporciona relaxamento, tranquilidade e sensação de frescor, principalmente em cidades quentes e secas. Um dos espelhos d’água mais famosos do mundo é o que fica em frente ao Taj Mahal, na Índia. No Brasil, destaca-se o do Congresso Nacional, em Brasília. Veja nosso acervo e se inspire!

Mais raso do que os lagos ornamentais – costumam ter entre 20 cm e 50 cm de profundidade (se a intenção for criar peixes, recomenda-se 60 cm) – os espelhos d’água podem ser feitos de concreto, alvenaria, cimento ou lonas plásticas ou de borracha, nos mais variados tamanhos e formatos (redondo, quadrado, retangular etc.), sempre em harmonia com a arquitetura do imóvel.

Embora a água possa ser parada, as cascatas, fontes, bicas, quedas d’água ou jatos d’água dão vida ao espelho, assim como plantas e peixes. Um bom projeto luminotécnico – com lâmpadas nas bordas, LEDs nos degraus ou luminárias subaquáticas – também contribui para que a estrutura fique mais orgânica.

O fundo pode ser coberto de pedrinhas, pastilhas de vidro coloridas (de tons mais sóbrios para um resultado discreto ou mais vivos para um toque moderno e ousado), seixos, ou ser pintado com tinta epóxi. Para as bordas externas, mármore, madeira, granito e pastilhas são boas opções.

A construção

Para um bom resultado, recomenda-se um estudo do terreno onde o espelho d’água será construído, assim como prever no projeto a instalação de pontos de água e drenagem. Um item importante é o ladrão, que impede que a água transborde em época de chuvas.

Em estruturas com borda reta, pode-se usar alvenaria simples, coberta de uma manta de EPDM (Etileno Propileno Dieno Monômero) para garantir a impermeabilização. Se o formato for orgânico, recomenda-se uma manta geotêxtil sob a manta de EPDM, sem necessidade de alvenaria.

Filtros orgânicos ou mecânicos e bombas d'água (que não deixam a água parada, evitando a proliferação de mosquitos) são equipamentos necessários, e há diversos modelos disponíveis no mercado. Se não houver plantas e peixes no espelho, a água pode ser tratada com filtro de areia ou de cartucho e cloro, redutor de ph etc. Os raios emitidos por lâmpada ultravioleta destroem microrganismos aquáticos, enquanto a ionização (emissão de íons de cobre e prata) mata vírus, bactérias e algas. Já a ozonização (aplicação de ozônio) elimina protozoários e vírus.

Ambientes internos

Cada vez mais essas "piscinas" decorativas são implementadas na entrada de residências e até em ambientes internos, como salas de estar, varandas e salas de espera de consultórios médicos, deixando esses locais ainda mais charmosos e sofisticados. Espaços embaixo de escadas, geralmente vazios, também são ideais para receber espelhos d’água.

Como os espelhos internos são construídos sobre o piso, eles devem receber produtos impermeabilizantes a fim de evitar infiltrações nos cômodos ou imóveis adjacentes. É imprescindível um estudo da estrutura do cômodo a fim de verificar se ela suportará o peso da água.

Para abastecer o “reservatório” de água, pode-se usar um balde ou uma mangueira. Uma tubulação deverá ser confeccionada para o escoamento da água.

Veja também referências de piscinas.

Mantenha-se atualizado! Receba
gratuitamente os Boletins e Informativos
da Galeria da Arquitetura

E-mail cadastrado com sucesso!

Você ficará informado sobre tudo que acontece
no mundo da Arquitetura. Aproveite!

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo