> > > Divisórias

REFERÊNCIAS /

Divisórias

As divisórias estão presentes em, praticamente, todos os empreendimentos corporativos. Práticas e versáteis, elas dividem ambientes e proporcionam privacidade a algumas áreas. Quando feitas de vidro e combinadas a um bom projeto luminotécnico, ampliam o espaço.

Divisórias podem ser fixas ou móveis. Estas últimas, com dispositivos deslizantes, são ideais para locais onde é necessário aumentar e diminuir o tamanho das ‘salas’. Por serem fáceis de montar e não gerarem resíduos, elas são perfeitas para projetos já existentes. Dependendo do material e acabamento escolhidos, a divisória ainda pode deixar o escritório mais charmoso e ser o destaque do ambiente.

Os tipos mais comuns

A divisória naval, feita de PVC, é o modelo mais popular, devido ao seu baixo custo e à montagem simples. Pode ser desmontada e reutilizada sem danificar o material. Se combinada com vidro, garante um resultado esteticamente mais atraente.

O modelo preferido dos arquitetos é o piso-teto, que é um sistema modular completo, com porta, batente, ferragens e rodapé, entre outros acessórios. Os modelos atuais costumam ter estrutura de alumínio brilhante, acetinado, natural, preto ou bronze e acabamento em vidro, MDP, acrílico, MDF altamente brilhante, tecidos etc. A largura padrão dos módulos é de 1,20 a 1,25 m, e a altura depende do tamanho da chapa de revestimento, mas eles podem ser personalizados de acordo com o projeto.

Como especificar

Para escolher a divisória, primeiramente é preciso verificar se ela está de acordo com as regras definidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que determinam quesitos de segurança, acústica e qualidade (leia mais sobre essas normas aqui). O item deve ser incluído no projeto de forma compatível com o sistema de iluminação e de ar-condicionado, com a fiação elétrica e com os cabos de telecomunicações.

Para um desempenho acústico eficaz, é necessário estabelecer o nível de privacidade desejada e as características dos ruídos produzidos dentro e fora do ambiente que será protegido pela divisória. Esses cuidados evitam o vazamento do som após a obra estar concluída.

Em ambientes onde a privacidade é muito importante, o modelo contraplacado com vidro duplo ou painéis preenchidos com lã de rocha, lã de PET, lã de vidro ou fibra mineral é a ideal. A vedação dos espaços deve ser feita com silicone e as portas devem ser de abrir, não de correr. Se a superfície for ampla, o vidro mais indicado é o laminado, por ser mais seguro (sua camada intermediária não permite que, em caso de quebra, ele se estilhace).

Vidro – o acabamento mais popular

O vidro é um dos acabamentos mais requisitados, pois com ele a divisória cumpre a sua função de separar ambientes, mas, ao mesmo tempo, os mantém integrados devido à sua transparência. O material também é esteticamente vantajoso: pode ser reto ou curvo e receber desenhos ou o logotipo da empresa em sua superfície.

Para salas que precisam ser mais reservadas, como as de diretores e gerentes, podem ser usados vidros coloridos, jateados, serigrafados ou adesivados, que permitem a entrada de luminosidade, ou, ainda, associados a persianas. Uma alternativa mais sofisticada é o vidro polarizado, um painel opaco que se torna transparente quando um botão é acionado.

Mantenha-se atualizado! Receba
gratuitamente os Boletins e Informativos
da Galeria da Arquitetura

E-mail cadastrado com sucesso!

Você ficará informado sobre tudo que acontece
no mundo da Arquitetura. Aproveite!

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo