> > > Praças e parques

REFERÊNCIAS /

Praças e parques

As Praças e os Parques são destinados a atividades lúdicas, recreativas, de lazer e convivência, associados a ambientes de acessibilidade pública e livre de edificações. São capazes de regenerar aspectos físicos e socioeconômicos de áreas degradadas, configurando espaços ideais para os pedestres.

Mas não é por isso que dispensam os projetos – muito pelo contrário. O planejamento vai da acessibilidade à iluminação e segurança – uma solução completa que requer compreensão da dinâmica e dos aspectos culturais do local.

Diretrizes básicas

Enquanto as praças cumprem o papel de reunir e integrar pessoas no contexto urbano –, os parques são mais conhecidos como áreas verdes, com maior presença de vegetação e, de certa forma, destinados à preservação do meio ambiente.

Projetos de praças costumam ser mais dependentes do local onde serão inseridas. Devem interagir – visual e fisicamente –, com os elementos que a circundam, como calçadas, ruas e prédios. Já os projetos de parques são livres da função de contextualizar-se com o local, permitindo concepções díspares do seu entorno.

A modelagem do terreno fica quase sempre à mercê do projeto, desde que se assegure a continuidade espacial nas praças e que não coloque a fauna e flora em risco nos parques. A presença de edificações deve ser mínima ou inexistente — com exceção das instalações administrativas, sanitários e lanchonetes.

Pavimentação

É imprescindível que a pavimentação suporte alto tráfego de pessoas, que seja segura contra deslizes, e resistente a intempéries. Nesse sentido, o mercado oferece uma diversidade de soluções para pavimentos rígidos, e o piso intertravado é a mais indicada.

Os critérios de funcionalidade e estética são importantes para a pavimentação. Pisos com grau de porosidade são recomendados para evitar acúmulo de água e até combater enchentes.

Iluminação

O projeto de iluminação assume a sinalização de praças e parques. A tecnologia LED oferece vantagens econômicas, de segurança e de manutenção para áreas urbanas e jardins. A iluminação também pode destacar árvores, lagos, esculturas e obras de arte em geral.

Paisagismo

O projeto de paisagismo deve atrair esteticamente e responder ao programa de atividades da praça ou parque. A arborização ou concepção dos jardins deve alinhar qualidades nos aspectos de porte, altura, sombra e composição.

Integração

É comum a presença abundante de bancos e artefatos de cimento, como chafarizes e balaústres. Esses elementos tornam o ambiente mais atrativo e estimulam atividades de integração e lazer. Em São Paulo, por exemplo, a prefeitura espalhou mobiliário ecológico em espaços públicos.

Também é comum se deparar com extensões e instalações provisórias que atendam atividades extraordinárias, como os parklets, que também roubam a cena em algumas capitais brasileiras.

Leia mais: Parklets se espalham por São Paulo, Fortaleza e Florianópolis

Mantenha-se atualizado! Receba
gratuitamente os Boletins e Informativos
da Galeria da Arquitetura

E-mail cadastrado com sucesso!

Você ficará informado sobre tudo que acontece
no mundo da Arquitetura. Aproveite!

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo